Catedral de la Virgen Santa 

Como um véu que se cobre sobre uma colunata, propõe-se um edifício robusto e solene, esvoaçando qual pomba na praça que a suspenta.

Passa-se da somra à luz através de um pórtico, como memória de chegada ao edifício por linhas contínuas de pavimento que buscam o céu, convertendo-se em luz no seu interior.

A implantação do edifício nasce da união de dois círculos, no espaço que vesica piscis denomina maneira quase celestial convidativa à meditação, à reunião e à devoção. 

O principal momento de oração é enfocado no edifício num ponto: o altar principal. A entrada principal atravessa um pórtico com porta em ouro, como fim de uma peregrinação sagrada. As capelas secundárias posicionam-se também em adoração, ante o altar principal, com entradas laterais saídas da fachada.

Recordando os templos antigos, toda a fachada do edifício proposto compartilha com os fiéis o terreno em que se implanta, demostrando pertencer tanto ao divino como ao terreno. A água corre através dessa praça para refrescar os demais, pondendo-se caminhar na água.

 

pomba.png
IMG_1578.png
final_vista-de-cima.jpg
perspectiva-dois.jpg
perspectiva.jpg
pormenor.jpg
porta.jpg
Guiné Equatorial
Estudo Preliminar

Março 2014

 

info@analiveiramagalhaes.com

(+351) 913 803 215

(+244) 943 426 911

Cascais | Portugal

Luanda | Angola

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Pinterest